Aprenda a interpretar os rótulo nutricional dos produtos

Quando compra um alimento, biscoito ou barrinha de cereal, por exemplo, você realmente lê todas as informações da embalagem?

Consegue entender a tabela nutricional ou ela está mais para aquela tabela periódica das nossas aulas de química.Sarcastic smile

Sabemos que a tabela nutricional pode parecer um bicho de sete cabeças, mas, acredite é possível compreendê-la.

E é justamente o que vamos fazer aqui: te ajudar a ler o rótulo nutricional dos produtos, afinal, ele não está lá atoa.

Não adianta nada deixar de consumir um alimento que faz mal a saúde e começar a consumir aquele que é mais saudável se você você não conhece seu valor nutricional, é preciso saber equilibrar a quantidade do que comemos, afinal, tudo que feito em excesso faz mal mesmo sendo saudável.

É aí que entra a tabela, é através dela que você vai poder aprender a comer de forma saudável, sem deixar de comer o que gosta e melhor a equilibrar a balança.




Como interpretar um rótulo nutricional?

O primeiro passo é entender o rótulo nutricional na embalagem. Ele é composto pela tabela nutricional, ingredientes e demais informações necessárias. Sua principal função é informar as características e propriedades nutricionais do produto que vamos consumir.

Por ser uma forma de comunicação entre a empresa e os consumidores, ele deve ser claro e objetivo, facilitando o correto  entendimento das informações dadas pelo fabricante.

Veja abaixo um exemplo clássico de tabela nutricional. As informações contidas nela são obrigatórias e devem constar em todas as tabelas nutricionais. Mesmo que o nutriente tenha uma presença quase irrelevante, o fabricante é obrigado a menciona-lo e aí, uma forma encontrada por muitos para não ter tabelas gigantescas com números irrisórios (um valor mínimo, um valor que não exprime nenhuma importância, um valor que não expressa o valor real), ocupando grande parte do rótulo, é utilizar no fim da tabela a frase:

“Não contém quantidades significativas do nutriente tal,tal,tal”.


Os demais itens, como vitaminas e minerais sã declarações optativas e ficam a critério do fornecedor.


Decifrando o VD

De acordo com a ANVISA, os “Valores Diários (VD)” são as quantidades dos nutrientes que a população deve consumir para ter uma alimentação saudável. São valores estabelecidos com base em uma dieta de 2.000 Kcal ou 8400 KJ estipulada segundo cálculo geral feito para indivíduos de 75kg.


  • Valor Energético: 2000 Kcal
  • Carboidratos: 300g
  • Proteínas: 75g
  • Gorduras totais: 55g
  • Gorduras saturadas: 22g
  • Gorduras Trans: não estabelecido
  • Fibras: 25g
  • Sódio: <2000 mg/dia

Os valores podem ser maiores ou menores, dependendo da necessidade energética de cada pessoa.

A %VD serve para orientar o consumidor se a quantidade daquele determinado nutriente é grande ou pequena naquela porção.


DICAS

1) Quanto menor a lista de ingredientes, maior a chance de o produto ser mais saudável.

2) Se procura um produto integral, verifique se o 1º ingrediente é realmente a farinha integral.

3) Pessoas com restrições alimentares precisam ler toda a lista de ingredientes e ficar atentas á informação “pode conter traços” de determinado alimento.

4) Opte por alimentos com menor quantidade de gorduras saturadas e de sódio e com mais fibras.

5) Mis importante do que contar calorias é olhar a quantidade nutricional do alimento como um todo. Checar apenas as calorias não é um bom parâmetro para dizer se o alimento é saudável ou não. Sempre que possível, compare-o com produtos similares de outras marcas.



Agora vamos conhecer as propriedades de cada uma desses informações nutricionais:

VALOR ENERGÉTICO: São as calorias que o alimento fornece, a energia produzida pelo nosso corpo, proveniente dos carboidratos, proteínas e gorduras totais. Esse valor é apresentado de duas formas: Kcal ou KJ e em porcentagem, referente ao Valor Diário (VD).

CAIBOIDRATOS: São os componentes dos alimentos cuja principal função é fornecer energia para as células do corpo. Quando em excesso, a parcela não utilizada é estocada em forma de gordura.

PROTEINAS: Fundamentais na construção e reconstrução de nossas células e tecidos.

GORDURAS TOTAIS: Representam a soma de todas as gorduras. São altamente energéticas e auxiliam no transporte das vitaminas. O consumo deve ser moderado.

GORDURAS SATURADAS: São encontradas em alimentos de origem animal. O excesso pode elevar os riscos de doenças cardiovasculares e outras disfunções.

GORDURAS TRANS: Fuja desse tipo de gordura!

SÓDIO: Presente no sal de cozinha, em diversos produtos industrializados e doces. Em excesso, é prejudicial e pode provocar hipertensão e retenção de líquidos. Fique de olho na porcentagem do VD de sódio.

FIBRAS: Auxiliam no controle da glicemia e do colesterol, aumentam a sensação de saciedade e mantêm as funções intestinais adequadas. Presentes em frutas, legumes, hortaliças, feijões e alimentos integrais. Procure ingerir alimentos com altos %VD de fibras alimentares.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...